terça-feira, 18 de novembro de 2014

Tipo assim....

Não me lembro bem se era junho ou janeiro. Era calor, flores caídas das árvores, perfume de lírio no quintal do apartamento, era você do outro lado da cama lindo que só, como todos os outros dias que dividimos juntos. Tinha açúcar no café em cima do fogão, o iogurte com sucrilhos que você tanto gosta, e o uniforme do futebol de sábado já com cheiro de amaciante de mãe dentro da sua mochila. Uma rotina que não cansa, não amansa, que um dia já teve o gosto doce e sereno da reciprocidade. Naquele dia que não me lembro bem, eu entendi toda a dor de viver uma parceria em descaminho. Entre sorrisos e broas de café da manhã, como quem já não vê sentido no sorvete de chocolate estando de dieta, eu desisti de você.
Não foi nada aleatório, impensado, muito menos desavisado. Pelo contrário, o grito aos navegantes ecoava quase que diariamente da proa do navio, alertando para os riscos de tempestades, turbulências, e homens ao mar. Enquanto eu me entregava, me dedicava, enquanto eu colocava um significado na palavra amor que deixava de batom vermelho no espelho do banheiro todos os dias, que era para você nunca se esquecer de onde estava indo e para onde estava voltando, você individualizava a vida em conjunto. Não notava os pequenos requintes de sutileza que agregavam cuidado ao nosso cotidiano e ignorava seco meu desejo de amparo, que só desejava acordar todos os dias envolto naquele abraço.
Aprendi ioga, francês, cálculos diferenciais, e até a calibrar o pneu do carro sozinha em dias de chuva. Reformulei o conceito temporal de saudade, e ofereci um milhão de oportunidades para colocar a cabeça no lugar e finalmente decidir em qual parte da sua calmaria se encaixava a minha tormenta. Esperei. Escolhi desviar a atenção do problema que era para ver se a vida me presentava com alguma resposta pré-formulada no final do nosso livro. Esperei tanto, que encontrei uma pedra no meio do caminho e ela virou flor, música, curso de inglês, dança, viagem, passeio com as amigas, borboleta.


Quando a gente começa a entender que precisa fazer parte do sonho do outro, assim como ele faz parte dos nossos, compreende que amor é um ato de fé. Uma prece às escuras, sem saber direito se existe alguém do outro lado contabilizando toda aquela devoção. Amor é um caminho, que como toda travessia a dois, precisa ser olhado em conjunto que é para se ter certeza de que os anseios se encontram e que nenhuma individualidade permanece prejudicada.
No dia que eu desisti de você não choveu, não tive problemas profissionais, não me machuquei na academia, tão pouco estava de TPM. Era junho ou janeiro, não me lembro bem. Mas de uma coisa estou certa, tinha um baita sol. Do lado de fora e esse aqui, que incandesce o amor próprio dentro de mim todos os dias. Saímos juntos, cada um para o seu espaço, seu abraço, sua rotina. E voltaríamos à mesma hora de sempre, com as mãos habitualmente dadas e o sorriso da última brincadeira tola ainda desfeito, esperando que um ou outro desse um passo adiante da sua zona de conforto. Repeti como um mantra: parcerias reais exigem entrega e flexibilidade. Olhou-me como quem não entendia o que via. Mal sabia ele que eu já havia desistido de nós. Eu era a própria desistência buscando abrigo dentro da palavra amor.

Danielle Daian

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Click

Era uma vez uma mãe que adorava fotos, fotografar e ser fotografada...

E seu filho cresceu...


E num curso técnico ele descobriu a mesma paixão...

E geralmente o que vem depois vem melhorado...

DOM!


Pan by Pan...

A mãe pelos olhos do filho...

A criadora pela criatura...

Amor por amor...


Sem FIM!


Edição by me!

terça-feira, 11 de novembro de 2014

Era uma vez....DEZOITO!!

18 anos, filho, DEZOITO.


É com muita emoção e agradecimento que olho pra trás, pro hoje e penso no futuro. Eu tenho muito a agradecer! A Deus, porque sempre esteve ao nosso lado nunca nos deixando faltar nada, que me capacitou pra aguentar a dura jornada que é ser PÃE e que sempre nos rodeou de muito amor. Agradeço aos anjos que Ele colocou nas nossas vidas: família, amigos, profissionais... cada um com seu papel, mas todos, fundamentais! OBRIGADA DE CORAÇÃO!

Filho, você é o meu maior presente e o meu melhor susto. Uma emocionante caminhada! Cheia de altos, baixos, risadas, preocupações, carinho, cinema, estresse, pipoca, música, cabelos brancos, viagens, broncas, brigas, montanhas russas, com pouca (às vezes nada) paciência, mas sempre com muito amor.

Lindo! Inteligente! Divertido! Educado! De coração enorme! Querido e tão, mas tão amado. Que Deus o abençoe todos os dias.

Desejo a você, filho, o melhor que a vida pode oferecer. Lembre-se que o que plantar, vai colher. Não tema o desconhecido, ele te ajudará a crescer. Pense longe, voe alto e O MUNDO SERÁ SEU! Não há limites! Abrace as oportunidades! Tenha sempre pessoas de bem por perto! Cuide das amizades (um dos bens mais preciosos que terá)! Respeite as pessoas e seus sentimentos! Dê muitas risadas, de preferência, daquelas de doer a barriga! Aprecie os detalhes (os lugares, os gostos, os sons...). Eu estarei sempre aqui pra te receber de braços abertos, morrendo de saudades, pra coçar suas costas (rsrs), pra te irritar, pra dizer o quanto você é importante, especial e o quanto de luz você traz pra nós. Certeza que terei muito orgulho do homem que você está prestes a se tornar, filho. Eu vejo um futuro maravilhoso pra você, meu anjo Gabriel! A minha boa nova foi, é e sempre será você!

Seja feliz, meu lindo filho.

Enjoy your new life (with responsibility)!!!!!!

Eu te amo muito e de todo coração!

PARABÉNS!!!

Obrigada Senhor!!!


segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Áfinal, pra nós eles nunca crescem, né?!

Declaração de amor:
 



É AMANHÃ!!!

Há 18 anos eu lembro da mesma maneira do dia anterior ao nascimento dele...e Gabriel diz que não aguenta mais ouvir a mesma história....rs

Fim de semana, eu enchendo o saco dele com cógegas e tal, ele a ponto de ficar bruto e resmungando um "pára de me encher"....eu logo disse:

- Posso encher o quanto eu quiser, há 18 anos quem me enchia o saco era você! Então eu posso!!rsrs


Achei estar perdido, massss, encontrei meu "presentinho" pra ele de 10 anos...VIVA!!

















VIVA!!!
É AMANHÃ!!!
OBRIGADA SENHOR!!!
FELIZ!!

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

São Tantas emoções....

Quando pequeno ele era meu companheiro de shows no Parque do Ibirapuera. Pão Music Festival, se não me engano. Vimos vários e vários showzassos, dançamos muito lá naquele gramado. Ele e eu nos lembramos rindo, que eu colocava ele no cangote e pulávamos e nos divertíamos como doidos. Eu novinha = sem dores na coluna (hahha) e ele de camarote...
 
Os anos passaram e agora ele é o meu companheiro de montanhas russas.
 
É, o tempo passa, o tempo voa...
 
Ele nasceu quase ontem e quase amanhã fará 18...
 
Se Deus quiser (e tomara que Ele queira) um dia Gabriel saberá que dentro de um coração de mãe pode caber um montão de amor, milhares de fotos e sentimentos mil.
 

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Que horas são???

Kate Blanchet é um AR-RA-ZO, né?!



Fotografia linda...

Italia...

Praia...

Montes de charme...

Olhar no ar...



......



Tem coisa melhor que se perder nas horas??






segunda-feira, 29 de setembro de 2014

She loves you yeah yeah yeah

Havia um tempo que eu achava que sabia quase tudo sobre música...

(Que eu sou daquelas que me daria muito bem no "Qual é a Música" do Sílvio Santos é fato, porque a música mal começa e eu já sei qual é!)

Mas aí percebi que vira e mexe eu ainda tenho aqueles clicks: - Nossa, não acredito que a letra é assim e não assado, como eu pensei (e cantei) por 30 e lá vai cacetada de anos....

E aí, meu bem, "só sei que nada sei".

Sábado fui a um encontro Desperate - All we need is Love - e a primeira "coincidência" foi que fomos ouvindo Beatles no carro. Delícia!!! Chegamos no destino e já pedi pra ela colocar música na NET e....em qual canal a dona do ap coloca????? BEATLES!!! Acaso?? NUNCA!! Conexão, já que esse encontro era esperado há tempos e pra ser meio gay mesmo, é muito amor envolvido!!

Aí ouvi a música abaixo e pensei que já tinha ouvido essa melodia...que é de uma música em português que amo (Quando te Vi - Beto Guedes)....

Não sabia que ela era em inglês e muito menos dos meus amores, dos BEATLES!!

Linda! Feliz! Alegria!

Foi o início de um delicioso encontro numa deliciosa tarde com comidinhas, risadas, brindes, abraços, revelações, desabafos e a certeza de que dias melhores virão!!!



quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Lá vem....

Ainda bem que não é do dia pra noite que seu filho faz DEZOITO anos.
Até parece, mas não é!
 
Geralmente próximo ao aniversãrio dele eu fico mais nostálgica mesmo...lembro dos detalhes (ok, de 10% deles rs)...das lutas e principalmente da saudade do trabalho que ele dava quando pequenino.
 
Não, ele nunca me deixou sem dormir, talvez por isso. Mas talvez por ele ter sido um anjinho, beeeem diferente dessa adolescência que eu não vejo a hora que passe.
 
Mas independente de qualquer coisa, DEZOITO anos é uma idade especial.
 
 
 
Aos DEZOITO nada muda, né?! Claro, a maioridade, já pode tirar carteira de motorista, responder pelos seus atos mas a cabeça??!! Nada! Embora quando temos 17 acreditamos que, ao acordarmos com 18, tudo vai mudar. Gabriel está eufórico, fazendo contagem regressiva, ele e eu.
 
Não foi fácil, não é fácil. Mas daqui 5 anos (assim espero!!rs) pretendo (sobreviver!!rsrsrs) olhar pra trás e ver que todos os estresses valeram a pena...Deus me ajude!!
 
Ahhh meu filhinho bicudo, respondão, estúpido e ríspido nas palavras, chato pra burro, mas de um coração enorme, que divide comida com mendigo, que diz que não vai mais paquerar a menina linda porque o namorado dela é gente boníssima, que diz que continua trabalhando porque eu pedi que ele me ajudasse com alguns gastos, que me faz rir dizendo sobre a raiva que é pensar que deu o número de celular errado pra menina gata...
 
 
Não basta ser Mãe, tem que ter MUITO AMOR pra AMAR!!!

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Ahhhh Saudade....

Não tem uma vez que eu ouça Gonzaguinha que eu não pense em quantas mais lindas músicas ele poderia ter escrito e cantado (e eu, me emocionado) desde que ele se foi! Tão cedo...
Sinto saudade das letras, da voz de alguém que nem conheci, mas ao mesmo tempo me parece tão familiar...vai saber...


Caminhos do Coração


Há muito tempo que eu saí de casa
Há muito tempo que eu caí na estrada
Há muito tempo que eu estou na vida
Foi assim que eu quis, e assim eu sou feliz

Principalmente por poder voltar
A todos os lugares onde já cheguei
Pois lá deixei um prato de comida
Um abraço amigo, um canto prá dormir e sonhar

E aprendi que se depende sempre
De tanta, muita, diferente gente
Toda pessoa sempre é as marcas
Das lições diárias de outras tantas pessoas

E é tão bonito quando a gente entende
Que a gente é tanta gente onde quer que a gente vá
E é tão bonito quando a gente sente
Que nunca está sozinho por mais que pense estar

É tão bonito quando a gente pisa firme
Nessas linhas que estão nas palmas de nossas mãos
É tão bonito quando a gente vai à vida
Nos caminhos onde bate, bem mais forte o coração

E aprendi ...
 
"E é tão bonito quando a gente entende
Que a gente é tanta gente onde quer que a gente vá
E é tão bonito quando a gente sente
Que nunca está sozinho por mais que pense estar"

quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Seasons of Love

"Quinhentos e vinte e cinco mil e seiscentos minutos
Quinhentos e vinte e cinco mil momentos bons
Quinhentos e vinte e cinco mil e seiscentos minutos
Como você mede, mede um ano?
Em dias, pores do sol
Em noites, copos de café
Em centímetros, quilômetros
Em risos, discussões

Que tal com amor?
Meça em amor
Estações de amor”


 (Seasons of love – Rent)






segunda-feira, 11 de agosto de 2014

...Aprender a começar de novo....

...Sem medo de errar...

...Sem medo de sofrer...

...Sem medo de ser feliz!!
 
Afinal, o título do blog, não por acaso, é:
 
A Beleza de ser uma ETERNA APRENDIZ!! :o)





Começo, meio e fim

A vida tem sons que
pra gente ouvir
Precisa entender que um amor de verdade
É feito canção, qualquer coisa assim,
Que tem seu começo, seu meio e seu fim.
A vida tem sons que
pra gente ouvir
Precisa aprender a começar de novo.
É como tocar o mesmo violão
E nele compor uma nova canção
Que fale de amor
Que faça chorar
Que toque mais forte
Esse meu coração
Ah! Coração!
Se apronta pra recomeçar.
Ah! Coração!
Esquece esse medo de amar de novo.

sexta-feira, 8 de agosto de 2014

Jude Law...piano...jazz...dança...mar......

e suspiros....muitos suspiros....





Pra aquecer o dia frio....

Histórias Reais do Primeiro Encontro by Samsung







Chorei!!!



Seria muita ilusão/burrice minha acreditar que isso pode acontecer comigo???



Eu quero! Eu mereço! Eu terei!

quarta-feira, 6 de agosto de 2014

Há 18 anos....

Do tempo que eu não sabia o que era relevância....mas já sabia o que era amor....

segunda-feira, 28 de julho de 2014

quinta-feira, 29 de maio de 2014

Brasileiros de Coração "O pai da camisa"

O youtube está com alguns anúncios lindos relativos à Copa do Mundo!!







Pra frente, Brasil!!!!

quarta-feira, 14 de maio de 2014

Velha? Nem tanto! Louca? Geralmente!

Tem dias que só música é capaz de me fazer sorrir....

Essa é uma das que da vontade de passar batom vermelho e sair dançando...independente do dia cinza que for.
Mesmo porque, no dia seguinte, o cinza vira cor!!




Velha e Louca
Pode falar que eu não ligo
Agora, amigo
Eu tô em outra
Eu tô ficando velha
Eu tô ficando louca
Pode avisar que eu não vou
Oh oh oh
Eu tô na estrada
Eu nunca sei da hora
Eu nunca sei de nada
Nem vem tirar
Meu riso frouxo com algum conselho
Que hoje eu passei batom vermelho
Eu tenho tido a alegria como dom
Em cada canto eu vejo o lado bom
Pode falar que nem ligo
Agora eu sigo
O meu nariz
Respiro fundo e canto
Mesmo que um tanto rouca
Pode falar, não importa
O que tenho de torta
Eu tenho de feliz
Eu vou cambaleando
De perna bamba e solta
Nem vem tirar
Meu riso frouxo com algum conselho
Que hoje eu passei batom vermelho
Eu tenho tido a alegria como dom
Em cada canto eu vejo o lado bom
Nem vem tirar
Meu riso frouxo com algum conselho
Que hoje eu passei batom vermelho
Eu tenho tido a alegria como dom
Em cada canto eu vejo o lado bom
 
Flávia canta: "em cada canto eu vejo o lado bom tchutchurururu...."

segunda-feira, 12 de maio de 2014

Filho de amiga minha é mulher!

Eu nunca fui daquelas mães que fica inventando namoradinha pro filho. Tipo, o menino é de colo e lá estão mães (e principalmente pais) dizendo: - a minha norinha, a sogra do meu filho, ou então, de peito estufado diz: meu menino tem 4 namoradinhas. Sempre achei isso péssimo. Uma das poucas vezes que vieram com esse tipo de graça quando meu filho não tinha nem idade pra andar de elevador sozinho eu retribuí com cara feia e com a resposta: - Ele está em idade de brincar e não de namorar, nem mesmo de brincadeira. Terá muito tempo pra isso.
Me poupe!
Geralmente são os pais de meninos que fazem esse tipo de brincadeira. Me pergunto: medo do filho ser homossexual e acharem que fazendo isso desde bebês estão colocando no subconsciente do menino o desejo pelo sexo oposto??

Ha
Ha
Ha

Não consigo ver esse tipo de "brincadeira" com bons olhos, não consigo.
____________________________________________________________________

Mas, desde que Gabriel entrou na idade de se interessar por meninas (além de simples amiguinhas), ele prefere as loiras e fala com todas as letras.
Não sei em qual momento ele conheceu a minha amiga Claudia*. Loira, baixinha, toda mignon. Linda mesmo. (Por isso que era minha amiga...rs...mentira!!rs)
Uns 4 anos mais nova que eu. Mas ainda assim velha pro meu filho, né?!
E foi ela partir pra ele me dizer que tinha gostado dela.


Que queria o telefone dela (falou brincando, claro). Lembro que eu falei que ela era casada e ele disse não ser ciumento. Eu mereço. Caímos na risada.

Contei pra ela sobre essa paixão platônica do menino e não me lembro ao certo sobre o comentário dela.

Depois de alguns anos comentei com ele algo sobre ela e ele arregalou os olhos. Eu disse que ela tinha mudado de cidade. Ele perguntou se ela continuava casada e eu disse que não. Mais que rapidamente ele soltou: Então agora tenho chance. E lá veio: E se eu ficasse com uma amiga sua?
Quem arregalou os olhos fui eu! Céus! Como? Mas fui obrigada a pensar no assunto. E SE??

Tenho uma outra amiga que também é cheia dessas brincadeiras e disse ser melhor que ele aprendesse com ela, que ela ensinaria direitinho. rsrs Mas, eu conheço os podres das minhas amigas, embora meu filho tenha cara e jeito de que de bobinho não tem nada, mas juntos, quase debaixo dos meus olhos?? Nada gostoso de imaginar.

Tá, meu filho é um gato e se fosse filho de alguma amiga minha provavelmente eu também faria a mesma brincadeira, mas esse é MEU e amiga minha, até ele fazer 18 anos (ok, só faltam 6 meses), está proibida de encostar a mão (quem lê pensa que eu mando tanto assim, ainda mais onde ele coloca a boca!!rsrs)!

Daí que esta semana postei uma foto no Instagram e mencionei meu filho no comentário. Cláudia* passou a seguí-lo no aplicativo e ele me contou como se fosse um troféu conquistado, cheio de si, com sorriso no rosto. Disse que agora tinha chances quase reais. Ainda me mostrou a foto dela e disse: - Olha que coisa mais linda!! Eu morri de rir. Desconversei, mais uma vez.

Ele fala brincando (acho eu)  masssssssssss, masssssssssssss, mas!!!!

Vinte anos de diferença, em média, ele tem das minhas amigas...
...e diz adorar mulheres mais velhas.

E SE?


*Nome alterado para preservar a identidade da amiga

sexta-feira, 9 de maio de 2014

REencontros...

Tenho uma amiga que, depois de 2 anos de convívio, descobrimos que tínhamos estudado no mesmo colégio durante o colegial.

Eu fiz humanas. Ela também!

Ela estudou na classe do Santelli. E eu achava que também!

Ela era quietinha e sentava na frente. Eu...bem...não posso dizer o mesmo!!

E aí a pergunta...será que estudamos na mesma classe??? Será??

Depois de lembrar e esquecer várias vezes de procurar a foto da tchurma dos formandos...lá fui eu.

Peguei a foto, e tive certeza que estudamos na mesma classe! Nossa voz mudou, mas nossos cabelos....também!!



Postei a bendita foto no Facebook. Os Formandos de 1994. Roupas, cabelos, tudo engraçado. Alguém comentou a foto, virou o maior blá blá blá saudosista e resolvemos marcar algo na semana seguinte (com direito a página do evento e várias fotos hilárias daquela época). A priori a idéia era nos encontrarmos no bar que fica em frente ao colégio, aquele que abrigou nossas bebedeiras (até o diretor do colégio uma vez baixou por lá pra nos resgatar na marra), nossos trucos, farras e cabuladas por longos 3 anos, o Bar Azul.


A foto! (O tempo foi bem generoso comigo, beeeem generoso!!!rsrs)

Mas concluímos que agora, 20 anos depois, aquele local é da "new generation"...escolhemos outro barzinho nas proximidades e lá fomos nós.

As pautas foram as mais diversas, tentamos lembrar dos nomes das figurinhas carimbadas, das nossas manias, dos bedéis (coitados, que tentavam a todo custo nos manter em sala de aula, geralmente, sem sucesso), as músicas que gostávamos, do que se passou, tudo, regado às lágrimas de tanto rir. Porque os anos passaram, mas a essência não muda, que bom!


Uma das trilhas sonoras preferidas naquela época e presente na minha vida desde então!

Até que chegamos num assunto engrassadíssimo e um tanto estranho:

O dia da Ovada.

O Objetivo da Luis Góes era um dos poucos, se não o único, que tinha o seu pátio (onde ficávamos durante os intervalos) todo aberto, sem cobertura e só uma grade vazada nos separava da rua. No calor, uma delícia. Tomávamos sol e nos esquecíamos de voltar pra classe. No frio ou chuva, um horror.
Esse dia já era conhecido pelos alunos que estavam lá há mais tempo.
Alunos da unidade da Paulista (onde estudavam os mais loucos, os mais baderneiros, os mais mais) se juntavam com os ex alunos da nossa unidade e de picapes, motos e a pé mesmo, todos encapuzados, arremessavam para dentro do colégio VÁRIAS DÚZIAS DE OVOS.

Era ovo pra todos os lados, um corre corre, gente caindo pelo caminho, muitos, sujos de ovo. O incidente durava nem 3 minutos mas era capaz de provocar alvoroço geral e MUITA sugeira.

Os sujos de amarelo eram dispensados para irem para casa. E terminado o intervalo o pessoal da limpeza iniciava os trabalhos. E quem seguia limpo só dava risada. Haviam também os que, bem nesse dia, não desciam para o pátio, o que gerava desconfiança de que alguns teriam "informação privilegiada".


E a gente olha tudo isso hoje e acha saudável. Claro, um desperdício de comida. Mas se formos pensar como andam os dias de hoje, as brigas filmadas e postadas, aluno desrespeitando professor e vice versa dentre tantas outras atrocidades nas escolas, só resta agradecer os dias felizes, SEM celular, internet e de puro convívio Tête à Tête em que vivíamos.

Éramos felizes e sabíamos! Que bom!



segunda-feira, 28 de abril de 2014

Da série: Garoto Enxaqueca

Domingo....

- Filho, vá lavar a louça.
- Não vou!
- Vai sim!
- Não vou!
- Se não for vou tirar o seu celular!
- Pode tirar!

Emoji

Eu desacreditei porque o celular é tudo pra ele, achei que ele cederia na hora. Então tirei. Ele dormiu a tarde toda e quando acordou, mais tranquilo, peguei o celular, dei 5 minutos pra ele ver as coisas dele e mandei-o lavar a louça. Lá foi ele. Bufando, mas foi.

Depois de um tempão ele veio todo machão:

- Eu não ligo mais tanto pro celular. (tipo, pode ameaçar que eu não tô nem aí)
- Até parece, sei que não é verdade. (olhando pra ele e rindo)

Ele deu uma risadinha e disse:

-Você tem razão!

Eu sempre digo: Junte muitas fichinhas de amor enquanto eles forem pequenos e engraçadinhos....provavelmente vai gastar quase todas depois!

quinta-feira, 24 de abril de 2014

Metade - Oswaldo Montenegro


"E que a força do medo que tenho, não me impeça de ver o que anseio.
Que a morte de tudo o que acredito não me tape os ouvidos nem a boca
Porque metade de mim é o que eu grito, mas a outra metade é silêncio.


Que a música que eu ouço ao longe, seja linda, ainda que tristeza
Que a mulher que eu amo seja pra sempre amada mesmo que distante
Porque metade de mim é partida e a outra metade é saudade.


Que as palavras que eu falo não sejam ouvidas como prece, nem repetidas com fervor,
apenas respeitadas, como a única coisa que resta a um homem inundado de sentimentos
Porque metade de mim é o que ouço, mas a outra metade é o que calo.


Que essa minha vontade de ir embora se transforme na calma e na paz que eu mereço
Que essa tensão que me corrói por dentro seja um dia recompensada
Porque metade de mim é o que eu penso e a outra metade é um vulcão.


Que o medo da solidão se afaste, que o convívio comigo mesmo se torne ao menos suportável.
Que o espelho reflita em meu rosto um doce sorriso, que me lembro ter dado na infância
Porque metade de mim é a lembrança do que fui, a outra metade eu não sei.


Que não seja preciso mais do que uma simples alegria para me fazer aquietar o espírito
E que o teu silêncio me fale cada vez mais
Porque metade de mim é abrigo, mas a outra metade é cansaço.


Que a arte nos aponte uma resposta, mesmo que ela não saiba
E que ninguém a tente complicar porque é preciso simplicidade para fazê-la florescer
Porque metade de mim é a platéia, e a outra metade é canção.


E que a minha loucura seja perdoada,
Porque metade de mim é amor, e a outra metade... também."



sexta-feira, 18 de abril de 2014

Panoramizando por aí....

Algumas imagens dispensam comentários....como essas aí....

Copacabana - Rio de Janeiro

Pacaembú - SP

Búzios - Rio de Janeiro

Peruíbe - SP

São Vicente - SP

Recife - Pernambuco

Fazendinha - SP

Pacaembú - SP

Praia de Iracema - Fortaleza - Ceará

Praia do Centro - Fortaleza - Ceará

San Francisco - Califórnia

Carmel - Califórnia

Santa Bárbara - Califórnia

Santa Mônica - Califórnia

Griffith Observayory - Los Angeles - Califórnia

Barragem Hoover Dam - Las Vegas - NV

Grand Canyon West (o lugar mais lindo do mundo) - Arizona

Grand Central Terminal - NYC

Peruíbe - SP

Perto de Casa (o sol se indo à esq. e a lua chegando à dir.) - SP

Eu sou MUITO agradecida pelas oportunidades e pela possibilidade de enxergar. Mas, quantas pessoas vêem tudo isso e não dão o devido valor?! Então eu agradeço também (e talvez principalmente) a sensibilidade de sentir e de me emocionar com as paisagens, com as passagens que já vivi, vivo e ainda viverei, com essas "pequenas coisas" tão grandes que fazem parte do nosso dia a dia como o sol, o céu, a lua, as estrelas, que podem às vezes passar desapercebidas.....não por mim!